Cursos de Extensão


Raízes da Modernidade no Medievo: Os franciscanos, Eckhart e Cusa


Professor

Prof. Dr. Joathas Bello
Doutor em Filosofa
 

Período

De 5 de maio a 14 de julho de 2017

Maio: 5, 12, 19, 26
Junho: 2, 9, 23, 30
Julho: 7, 14

Horário

Sextas-feiras, das 9h às 10h40
 

Carga horária

20 horas/aula

 

Objetivos gerais

Apresentar aos alunos os principais conceitos do movimento filosófico franciscano, da mística renana e de Nicolau de Cusa, mostrando-os em sua articulação com as ideias modernas.

 

Objetivos específicos

a) Compreender a importância do movimento franciscano na assunção da “natureza” como tema primordial da investigação racional, bem como a assunção de uma perspectiva “voluntarista” e que acentua, a partir da gnosiologia “nominalista”, a importância da “lógica” na produção do conhecimento, o que prepara a matematização do conhecimento do mundo.

b) Compreender como a mística renana preparou uma perspectiva “secular” da vivência da espiritualidade, em que a distinção entre o “contemplativo” e o “ativo” vai desparecendo.

c) Compreender como Nicolau de Cusa já expõe as preocupações filosóficas que estarão presentes no racionalismo moderno e que apoiarão o movimento científico, de uma maneira bastante mais rigorosa e com conceitos melhor formalizados que o movimento filosófico tipicamente renascentista.

 

Conteúdo programático

I. Introdução à Filosofia Medieval

1.1. Filosofia medieval?

1.2. Filosofia cristã?

1.3. Cristianismo e “século”
 

II. “Filosofia franciscana”

2.1. Noções sobre a vida e a obra de Francisco de Assis e seu significado religioso, filosófico e histórico

2.2. A mística de Boaventura: síntese agostiniano-franciscana

2.3. Escoto: a influência de Avicena, o “ser unívoco” e o papel da vontade

2.4. Ockham, o “fideismo” e o “nominalismo”

2.5. Lúlio e o “diálogo inter-religioso”


III. A mística renana e a doutrina de Nicolau de Cusa

3.1. Eckhart e a mística voltada para o “mundo”

3.2. Nicolau de Cusa: a “douta ignorância” e o mundo como “explicação de Deus”

3.3. A modo de conclusão: a Modernidade como “cristianismo secularizado”

 

Bibliografia básica

BOAVENTURA DE BAGNOREGIO. Itinerário da mente para Deus. Trad. António Soares Pinheiro. Braga: Publicações da Faculdade de Filosofia, 1986.

GILSON, Etienne. A filosofia na Idade Média. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

LÚLIO, Raimundo. O Livro do Gentio e dos Três Sábios. Trad. Esteve Jaulent. Petrópolis: Vozes, 2001.

MARTÍNEZ FRESNEDA, Franciso; MERINO, José Antonio (coordenadores). Manual de Filosofia Franciscana. Trad. Celso Márcio Teixeira. Petrópolis: Vozes, 2006.

MESTRE ECKHART. O Livro da Divina Consolação e outros textos seletos. 4ª edição. Petrópolis: Vozes, 1999.

NICOLAU DE CUSA. A Doutra Ignorância. Trad. Reinholdo Aloysio Ullmann. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

TOMÁS DE AQUINO; DANTE ALIGHIERI; DUNS SCOT; OCKHAM. Seleção de Textos. São Paulo: Abril Cultural, 1973 (Os Pensadores).

 

Bibliografia complementar

BENTO XVI. Os mestres medievais: De Hugo de São Vítor a João Duns Escoto. Trad. L’Osservatore Romano. Campinas: Ecclesiae, 2012.

BOEHNER, Philotheus; GILSON, Etienne. História da filosofia cristã: Desde as origens até Nicolau de Cusa. Trad. Raimundo Vier. Petrópolis: Vozes, 1998.

CASSIRER, Ernst. Indivíduo e Cosmos na Filosofia do Renascimento. Trad. João Azenha Jr. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

CHESTERTON, G. K. São Francisco de Assis e São Tomás de Aquino. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.

COSTA, Ricardo da. “Ramon Llull (1232-1316) e o diálogo inter-religioso. Cristãos, judeus e muçulmanos na cultura ibérica medieval: O Livro do gentio e dos três sábios e a Vikuah de Nahmânides”. In: LEMOS, Maria Teresa Toribio Brittes e LAURIA, Ronaldo Martins (org.). A integração da diversidade racial e cultural do Novo Mundo. Rio de Janeiro: UERJ, 2004 (cd-room). Disponível em <http://www.ricardocosta.com/artigo/ramon-llull-1232-1316-e-o-dialogo-inter-religioso-cristaos-judeus-e-muculmanos-na-cultura>

________. “A criação da ciência universal: Ramon Llull e as premissas de sua Arte”. In: SANTIAGO, Homero (coord.). Discutindo Filosofia 3. São Paulo: Editora Escala, 2006. Disponível em: <http://www.ricardocosta.com/artigo/criacao-da-ciencia-universal-ramon-llull-e-premissas-de-sua-arte>

FRANCISCO DE ASSIS et alia. Fontes franciscanas. Santo André: O Mensageiro de Santo Antônio, 2004.

GILSON, Etienne. O espírito da filosofia medieval. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

________. Introdução ao estudo de Santo Agostinho. Trad. Cristiane Negreiros Abbud Ayoub. São Paulo: Discurso Editorial e Paulus, 2010.

________. Por que São Tomás criticou Santo Agostinho seguido de Avicena e o ponto de partida de Duns Escoto. 2ª ed. São Paulo: Paulus, 2010.

HONNEFELDER, Ludger. João Duns Scotus. Trad. Roberto Hofmeister Pich. São Paulo: Loyola, 2010 (Leituras Filosóficas).

LE GOFF, Jacques. São Francisco de Assis. Trad. De Marcos de Castro. Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 2001.

LIBERA, Alain de. Maître Eckhart et la mystique rhénane. Paris: Les Éditions du Cerf, 1999.

________. A Filosofia Medieval. Trad. Nicolás Nyimi Campanário e Yvone Maria de Campos Teixeira da Silva. 3ª ed. São Paulo: Loyola, 2011.

NICOLAU DE CUSA. El Possest. Trad. Angel Luis González. Pamplona: Servicio de Publicaciones de la Universidad de Navarra, 1998 (Cuadernos de Anuario Filosófico).

SARANYANA, Josep-Ignasi. A filosofia medieval: Das origens patrísticas à escolástica barroca. Trad. Fernando Salles. São Paulo: Instituto Brasileiro de Filosofia e Ciência “Raimundo Lúlio”, 2006.

VAZ, Henrique C. de Lima. Raízes da modernidade. São Paulo: Loyola, 2002.

 

Certificado

Confere certificado mediante 75% de presença nas aulas.
 

Investimento

R$ 60,00 (taxa de inscrição) não reembolsável em caso de desistência do aluno
3 parcelas de R$ 130,00

 

Inscrição

Clique abaixo no botão Faça sua pré-inscriçãoSelecione o curso de seu interesse na seta e após preencher todos os campos clique em Confirmar.

Ao recebermos sua pré-inscrição enviaremos o boleto referente a taxa de inscrição pelo correio e também uma segunda via do boleto por e-mail. A inscrição estará confirmada com o pagamento desta taxa, cujo valor não será restituído em caso de desistência do curso por parte do aluno.

Se o boleto não for recebido, entre em contato com a secretaria da Faculdade de São Bento pelo e-mail secretaria@faculdadesaobento.org.br ou pelos telefones (21) 2206-8310 e (21) 2206-8281.
 

Imagem: Detalhe de uma pintura de Fra Angélico (Lamentação sobre Francisco) Eckhart (à esquerda) e Cusa (à direita). Simbolizando também a passagem (indicada pela morte do santo) de um cristianismo mais religioso (do qual Francisco é o ápice no século XIII) para um cristianismo secular (originado no franciscanismo dos séculos XIII-XIV e impulsionado pelos dois místicos nos séculos XIV e XV).




Newsletter